Pular para o conteúdo principal

Pronomes Pessoais e de Taratmento

PRONOME




O pronome representa as vozes do discurso.
·         O locutor;
·         O locutário;
·         O assunto ou referente.

Pronomes Pessoais


Número Pessoa Pronomes retos Pronomes oblíquos
Singular primeira Eu Me, mim, comigo
segunda Tu Te, ti, contigo
terceira Ele/ela Se, si, consigo, o, a, lhe
Plural primeira Nós Nos, conosco
segunda Vós Vos, convosco
terceira Eles/elas Se, si, consigo, os, as, lhes



Conjugação  - Affonso Romano de Sant’anna


Eu falo
tu ouves
ele cala.

Eu procuro
tu indagas
ele esconde.

Eu planto
tu adubas
ele colhe.

Eu ajunto
tu conservas
ele rouba.

Eu defendo
tu combates
ele entrega.

Eu canto
tu calas
ele vaia.

eu escrevo
tu me lês
ele apaga.  


  •  O poema é intitulado “Conjugação”. O que do ponto de vista gramatical, justifica esse título?
  •  Como são classificados os pronomes utilizados pelo eu lírico? 
  •   O sentido do poema é construído pela relação estabelecida entre cada pronome e o sentido dos verbos a eles associados. Considerando essa afirmação, explique como se caracteriza o “ele” a quem se refere o eu lírico.
 Respostas:
  • O título do poema se deve ao fato de o eu-lírico estar conjugando diferentes verbos em três pessoas gramaticais: a primeira (eu), a segunda (tu) e a terceira (ele).
  • São pronomes pessoais do caso reto.
  • A primeira pessoa é o próprio eu lírico: a pessoa que fala; a segunda, o seu interlocutor: a pessoa com quem o eu lírico fala; a terceira é aquela de quem se fala, mas que não está especificada (é um outro).


Pronomes de Tratamento


Pronomes de tratamento Abreviatura
Singular
Abreviatura
Plural
Usados para:
Você V. VV. Usado para um tratamento íntimo, familiar.
Senhor, Senhora Sr., Sr.ª Srs., Srª.s Pessoas com as quais mantemos um certo distanciamento mais respeitoso
Vossa Senhoria V. S.ª V. Sª.s Pessoas com um grau de prestígio maior. Usualmente, os empregamos em textos escritos, como: correspondências, ofícios, requerimentos, etc.
Vossa Excelência V. Ex.ª V. Ex.ªs Usados para pessoas com alta autoridade, como: Presidente da República, Senadores, Deputados, Embaixadores, etc.
Vossa Eminência V. Em.ª V. Em.ªs Usados para Cardeais.
Vossa Alteza V. A. V V. A A. Príncipes e duques.
Vossa Santidade V.S.        - Para o Papa.
Vossa Reverendíssima V. Rev.mª V. Rev.mªs Sacerdotes e Religiosos em geral.
Vossa Paternidade V. P. VV. PP. Superiores de Ordens Religiosas.
Vossa Magnificência V. Mag.ª V. Mag.ªs Reitores de Universidades
Vossa Majestade V. M. V V. M M. Reis e Rainhas.
Observação importante:
# O pronome de tratamento concorda com o verbo na 3ª pessoa. Por exemplo: Vossa Senhoria está feliz.
#Quando se referir à 3ª pessoa, o pronome de tratamento é precedido de sua:
Sua Majestade, a rainha da Inglaterra, chega hoje ao Brasil.


Anedota:

                    Questão semiótica
__ Você é um ladrão!
__ O digníssimo colega não me falte com o decoro: “Você, não, ‘Vossa Excelência’!” 
  Texto. Caros Amigos, ano V, n 51, jun. 2001.

1. O humor do texto se deve à reação do interlocutor à acusação feita pelo seu colega, que reação se esperaria que tivesse o interlocutor?
2. O que as formas pronominais indicam sobre a posição ocupada na sociedade por esses interlocutores?


Respostas: 
1. O que seria esoerado é que o interlocutor sentisse ofendido pelo fato de ter sidochamado de ladrão.
2. Indica se tratar de pessoas que têm cargos hierarquicamente altos, provavelmente públicos, já que essas formas de tratamento são utilizadas para se referir respeitosamente a altas altoridades do Governo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relato Pessoal: produção textual

Relato Pessoal: uma proposta em sala de aula

Texto 1: O coração roubado, de Marcos Rey

Eu cursava o último ano do primário e como já estava com o diplominha garantido, meu pai me deu um presente muito cobiçado: O coração, famoso livro do escritor italiano Edmondo de Amicis, best-seller mundial do gênero infanto-juvenil. Na página de abertura lá estava a dedicatória do velho, com sua inconfundível letra esparramada. Como todos os garotos da época, apaixonei-me por aquela obra-prima e tanto que a levava ao grupo escolar da Barra Funda para reler trechos no recreio.         Justamente no último dia de aula, o das despedidas, depois da festinha de formatura, voltei para a classe a fim de reunir meus cadernos e objetos escolares, antes do adeus. Mas onde estava O coração? Onde? Desaparecera. Tremendo choque. Algum colega na certa o furtara. Não teria coragem de parecer em casa sem ele. Ia informar à diretora quando, passando pelas carteiras, vi a lombada do livro, bem escondido sob uma pasta…

Avaliação de Interpretação Textual

Relato Pessoal