Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2012

Orações Compostas

ATIVIDADE PARA 9 ANO.
ANÁLISE DA LÍNGUA - ORAÇÕES COMPOSTAS


1.No primeiro quadrinho a oração em aspas posposto após a pontuação dois-pontos significa () a explicação do pronome DISSO() a explicação do verbo LEMBRE-SE () a explicação do substantivo FILHO
2.No segundo quadrinho o termo NO ENTANTO tem o mesmo sentido que () onde() portanto() mas
3.A conjunção OU empregada numa oração tem o sentido de () explicação() alternativa() conclusão
4.No trecho: “O GOVERNO ENCONTRARÁ UM MODO DE TAXÁ-LAS” o pronome destacado refere-se () mais cedo ou mais tarde () as melhores coisas da vida são de graça () filho


5.“UMA LISTA DE COISAS QUE NÃO VOU FAZER HOJE!” O termo da oração em destaque é uma oração subordinada adjetiva porque podemos substituí-la () por um substantivo () por um adjetivo () por um verbo


6.“É VERDADE QUE VOCÊ TÁ APRENDENDO INGLÊS?”
a)

Leitura e interpretação textual

PICASSO, O ABRAÇO

ABRAÇO
Entrelaçar os braços,
misturar com as tuas as minhas linhas da mão,
ouvir a música ardente
dos teus anseios,
encostar nossas almas,
nossos olhos, costurar
nossas esperanças,
com o mesmo fio
dividir os sonhos.

in Rios da Alegria, ed. Moderna


1. Que verbo transmite a ideia da ação de abraçar?


2. O uso da sinestesia está presente no poema.
Sinestesia: figura de palavra que consiste em agrupar e reunir sensações originárias de diferentes órgãos do sentido: visão, tato, olfato, paladar e audição. Ex.: “O sol de outono caía com uma luz pálida e macia”. a) Encontre um caso de sinestesia no poema.

3. O uso de sentido figurado está presente no poema.
Sentico figurado: é o significado que palavras ou expressões adquirem, em situações particulares de uso. A palavra tem valor conotativo quando seu significado é ampliado ou alterado no contexto em que é empregada, sugerindo idéias que vão além de seu sentido mais usual. Ex.: Ela ganha rios de dinheiro. a) Encontre um caso…

Mater Dolorosa

Mater Dolorosa
Aqui jaz
com o jornal na mão, se abanando,
a mãe de um vestibulando.

Pouco faz,
alguém lhe passou, aflito,
Santo Deus, o gabarito!
Rogai pelos genitores
na hora dos seus estertores.
O filho, consultado
sobre o provável resultado,
disse que está tudo numa boa.
Tudo a mil, céu de anil.
"Não vos grileis, ô coroa!"
E saiu para comemorar, com estranhas,
o ingrato fruto das suas entranhas.
Aqui fenece
com o rádio no ouvido, p e n a n d o,
a mãe de um vestibulando.
E desfalece.
Sua alma é uma folha ótica
rasurada e caótica.
Se tivesse como optar
num sistema de múltipla escolha
antes deste que a quer matar
teria dado luz a uma bolha.
Não os deixeis cair em prostração
enquanto não sair o listão.
O filho, que em vez das matérias
só estudava o que fazer nas férias,
diz que: "Olha aqui, já passei.
Do jeito que está o ensino
só não passa mesmo um cretino
e, de qualquer jeito, eu colei".
E sai para uma chopada
Deixando a mãe crucificada.
Aqui se arrasta
como uma l…

Relato Pessoal

Relato Pessoal: produção textual

Relato Pessoal: uma proposta em sala de aula

Texto 1: O coração roubado, de Marcos Rey

Eu cursava o último ano do primário e como já estava com o diplominha garantido, meu pai me deu um presente muito cobiçado: O coração, famoso livro do escritor italiano Edmondo de Amicis, best-seller mundial do gênero infanto-juvenil. Na página de abertura lá estava a dedicatória do velho, com sua inconfundível letra esparramada. Como todos os garotos da época, apaixonei-me por aquela obra-prima e tanto que a levava ao grupo escolar da Barra Funda para reler trechos no recreio.         Justamente no último dia de aula, o das despedidas, depois da festinha de formatura, voltei para a classe a fim de reunir meus cadernos e objetos escolares, antes do adeus. Mas onde estava O coração? Onde? Desaparecera. Tremendo choque. Algum colega na certa o furtara. Não teria coragem de parecer em casa sem ele. Ia informar à diretora quando, passando pelas carteiras, vi a lombada do livro, bem escondido sob uma pasta…

Os patos de Rui Barbosa